Brasil importou US$ 27,9 bilhões e exportou US$ 10,1 bilhões em produtos químicos de janeiro a setembro de 2017

As importações brasileiras de produtos químicos mantiveram a tendência de crescimento em setembro e somaram US$ 3,7 bilhões, com aumento de 2,8% frente a agosto. Na comparação com setembro de 2016, houve incremento de 16,5%. No acumulado do ano, as compras externas de produtos químicos chegaram a US$ 27,9 bilhões, com elevação de 7,9% em relação ao período de janeiro a setembro do ano passado. Os produtos químicos mais importados pelo País foram os intermediários para fertilizantes, com compras de US$ 576 milhões em setembro.

As exportações, que somaram US$ 1,2 bilhão em setembro, cresceram 3,7% ante agosto e 26,7% em relação ao mesmo mês de 2016. No acumulado de janeiro a setembro, as vendas externas de produtos químicos somam US$ 10,1 bilhões, valor 13% maior do que o registrado no mesmo período de 2016. O déficit na balança comercial de produtos químicos, até setembro, chegou a US$ 17,8 bilhões, um aumento de 5,2% em relação a igual período de 2016. Nos últimos 12 meses (outubro de 2016 a setembro deste ano), o déficit é de US$ 22,9 bilhões. Os dados foram divulgados pela Abiquim.

Na análise do Sinproquim, é preocupante o crescimento das importações que, em muitos casos, são de produtos que já foram produzidos e passaram a ser importados. Essa situação se deve ao alto custo da energia elétrica, de matérias-primas básicas, como o gás natural, e da carga tributária, entre outros fatores. A falta de investimentos no setor torna o Brasil cada vez mais dependente de matérias-primas essenciais para a cadeia produtiva.

As oportunidades para o crescimento do setor químico estão sendo ocupadas por importações, tornando o Brasil cada vez mais dependente de insumos fundamentais para a cadeia produtiva, que está perdendo a oportunidade de gerar empregos qualificados no País.

O Sinproquim deve publicar brevemente um panorama do comércio exterior de produtos químicos, considerando o Estado de São Paulo como destino (importações) e origem (exportações), o que não significa que esses produtos importados sejam consumidos no estado ou que os produtos exportados sejam aqui produzidos. Números preliminares indicam que em 2016 foram importados pelo Estado de São Paulo cerca de US$ 17 bilhões, representando 50% do total importado pelo Brasil, que chegou a US$ 34 bilhões. Nas exportações de produtos químicos, São Paulo participou com a exportação de US$ 4,6 bilhões, que corresponde a 39% do total exportado pelo País no mesmo período.