Diretor-executivo do Sinproquim analisa as perspectivas da indústria química paulista

Em entrevista à Química e Derivados, o diretor-executivo do Sinproquim, Renato Endres, estima que a indústria química nacional terá um crescimento em torno de 2,5% em 2020. “Esse crescimento não é suficiente nem para recuperar a queda sofrida em 2018-19, mas é animador”. Endres destacou na entrevista que a indústria química paulista, mesmo com uma forte produção de commodities, está mais voltada para especialidades. “Temos muitas pequenas e médias companhias instaladas no estado, elas apresentam grande flexibilidade para adaptação, pois operam com bateladas, contam com reatores e instalações multipropósito”, afirmou.