Sinproquim inicia tratativas com ABDI para implementar conceito 4.0 no setor

O potencial de redução de custos industriais pela migração da indústria para o conceito 4.0 é superior a R$ 73 bilhões por ano no Brasil. Essa economia seria gerada por meio de ganhos de eficiência, menor consumo de energia e diminuição dos gastos com manutenção de máquinas e equipamentos. A estimativa é da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), que fez uma apresentação sobre a indústria 4.0 na Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), no dia 27 de abril.

 

No evento, que contou com a participação do diretor-executivo do Sinproquim, Ricardo Neves de Oliveira, e do assessor de Economia do Sindicato, Renato Endres, a ABDI detalhou os passos para o processo de migração para uma indústria 4.0, que começa com a compreensão do conceito, passando por uma autoavaliação, identificação de parceiros tecnológicos e de negócios, definição dos profissionais do time e decisão de investimentos em soluções 4.0, culminando com o estabelecimento de alianças estratégicas para competir em igualdade de condições nos mercados interno e externo.

 

A coordenadora de Produção Industrial da ABDI, Junia Casadei Lima Mota, e o especialista em Desenvolvimento Industrial da entidade, Bruno Jorge Soares, ressaltaram que a quarta revolução industrial, caracterizada por um conjunto de tecnologias que permitem a fusão do mundo físico, digital e biológico, terá um impacto mais profundo e exponencial no mundo do que as três anteriores (mecânica, elétrica e digital). As principais tecnologias que permitem essa fusão são a manufatura aditiva (impressão 3D), a inteligência artificial, a internet das coisas (Iot), a biologia sintética e os sistemas ciberfísicos.

 

Para promover a migração para o conceito 4.0, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) criou, em junho de 2017, um grupo de trabalho que conta com a participação de mais de 50 instituições, incluindo órgãos do governo, empresas, associações de classe e entidades científicas. O GT tem como missão analisar perspectivas e propor ações que acelerem a implantação do conceito 4.0 pelo setor industrial brasileiro.

 

A participação do Sinproquim no evento teve como objetivo apurar como as empresas químicas, principalmente as de pequeno e médio porte, podem participar do movimento de migração para o conceito 4.0, por meio do engajamento com a ABDI, e propor a arquitetura do processo. Os incentivos disponibilizados pela ABDI para a indústria química serão canalizados para as empresas interessadas. Para participar desse processo, as empresas devem enviar e-mail para sinproquim@sinproquim.org.br para que seja iniciado uma avaliação, caso a caso, da aderência ao projeto.