Sinproquim se reúne com a ANP em defesa dos associados

Executivos do Sinproquim pleitearam junto à ANP o cancelamento de autos de infração lavrados por atrasos no envio de informações via Simp.

O diretor-executivo do Sinproquim, Ricardo Neves, acompanhado de representantes de outras entidades e empresas do segmento de lubrificantes, esteve na sexta-feira (20) no Rio de Janeiro, na sede da ANP, para defender as empresas produtoras de óleos lubrificantes que foram autuadas por atrasos no envio de informações via Sistema de Informações de Movimentação de Produtos (Simp).

Em pleito encaminhado em agosto, o Sinproquim expôs à Agência que algumas empresas não conseguiram cumprir o prazo fixado de 15 de junho de 2016 para o envio de informações de todas as entradas e saídas de notas fiscais retroativas a 2015 devido à complexidade e ao grande número de documentos solicitados.

“O sistema Simp foi apresentado pela ANP no final do ano de 2015 e, no curso de sua implantação, ocorreram diversos ajustes, o que tornou o sistema mais complexo e dificultou ainda mais o cumprimento do prazo”, explica Neves. “Empresas que estavam processando as informações para cumprir o estabelecido enfrentaram vários problemas técnicos.”

O objetivo da reunião foi pleitear o cancelamento dos autos de infração lavrados, bem como as multas decorrentes aplicadas. “Ressaltamos ainda que as empresas continuaram enviando as informações nos prazos fixados enquanto o sistema anterior esteve ativo”, ressalta o representante do Sinproquim.